Quando começar com sua estratégia de publicidade nativa?

Admission, Software and Academic Essays
22 de janeiro de 2017
Essay Writing – personal-producing and online essay writing services
25 de janeiro de 2017

Quando começar com sua estratégia de publicidade nativa?

Diversificar a estratégia de publicidade virou quase que uma obrigação para as empresas. Afinal, de que outra forma os gestores das marcas podem fazer com que sua mensagem consiga se destacar num ambiente de disputa acirrada pela atenção do consumidor?

A publicidade nativa apresenta-se atualmente como uma boa opção para as marcas interessadas em adotar caminhos diferenciados em suas estratégias. Mas será que essa modalidade serve para qualquer empresa? E em quais situações é mais indicada?

Esse é o assunto tratado no post de hoje. Se você tem dúvidas sobre o tema, confira nossas dicas!

Por que usar publicidade nativa?

A publicidade nativa é uma forma de diversificar a estratégia das marcas, porém, antes de optar por ela é importante avaliar alguns pontos.

Primeiro, se o emprego dessa modalidade vai ajudar nos objetivos traçados para a marca. Atenção: é preciso saber o que se pretende com aquela ação. Aumentar vendas? Melhorar reputação? Atrair mais audiência para seus canais?

Outra questão importante: antes de investir em publicidade nativa é crucial que se tenha um bom conhecimento sobre o público da marca e, principalmente, seus canais de preferência.

Em quais situações a estratégia de publicidade nativa é mais eficiente?

Empresas de todos os portes podem usar a publicidade nativa, desde que tenham conseguido definir seus objetivos. E, a partir daí fique atento para essas situações, nas quais a estratégia funciona melhor:

1. Angariar audiência

Quando iniciamos um novo canal social é difícil atrair audiência. Se ninguém o conhece, como vamos conseguir “curtidas”, compartilhamentos, seguidores ou inscrições?

Há várias maneiras para iniciarmos a captação de público e native ads tem-se destacado como uma boa estratégia para se alcançar esse tipo de objetivo. Para dar certo, o principal é trabalhar bem a questão da segmentação da campanha.

Quando você trabalha com publicidade nativa você vai aproveitar-se da audiência de outros canais. Mas fique atento: a indicação é que faça isso da forma menos intrusiva possível, ou seja, deve adotar a mesma linguagem usada naquele canal e, claro, sua abordagem deve ser contextualizada. Na prática, isso significa que o seu anúncio precisa ter relação com o assunto tratado naquele canal.

Peças bem feitas tendem a funcionar. O público que está naquele canal tem interesse por aquele assunto e pode clicar no seu anúncio e aceitar seu convite para curtir sua página, inscrever-se no seu canal, visitar seu site etc.

2. Ganhar escala

A opção pela publicidade nativa também pode ser feita por quem já tem determinada audiência, mas pretende ampliá-la, de preferência dentro do mesmo target.

Nesse caso, um anúncio de publicidade nativa num canal ou publisher que tem a preferência do seu público pode ser um bom chamariz de audiência. Mais uma vez, não se descuide da segmentação correta do público. Definir com quem você vai falar é crucial até para que a não haja erro na abordagem que será feita do usuário.

Tecnicamente dizemos que essa estratégia ajuda a “escalar” seus resultados, ou seja, ampliar seus números de audiência, o que vai fazer com que os canais próprios da marca aumentem seu alcance.

3. Diversificar seus públicos

Uma das dificuldades para quem atua com vários canais é ter pessoas diferentes em cada um deles. Afinal, o objetivo de mantê-los é conseguir atrair mais usuários.

A publicidade nativa gera bons resultados nesse caso. O ideal é que se selecione o canal no qual a performance da marca não é tão boa e fazer o anúncio. Pode ser um vídeo para determinado canal no YouTube ou mesmo para ser publicado no Facebook. O que vai diferenciar a publicidade nativa é a contextualização!

Até em razão da sua complexidade, a publicidade nativa exige profissionais especializados. Quem trabalha o tempo todo com isso, além de ter mais técnicas à sua disposição, geralmente desenvolve um “olhar clínico” para chegar no tom mais adequado para a mensagem.

E você? Está pronto para investir em uma estratégia de publicidade nativa? Tire suas dúvidas nesse artigoque preparamos sobre o assunto!

Victor Freitas
Marketing e Growth da YContent.com.br